A Polícia Federal norte-americana (FBI) e a Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) querem impedir grandes grupos da Internet, como Apple ou Google, de porem à venda telemóveis encriptados invioláveis.


O argumento usado para justificar a pretensão é o do risco de estes aparelhos serem utilizados para fins terroristas ou criminosos.
Na segunda-feira, perante uma plateia de peritos em cibersegurança reunidos em Washington, para um colóquio, o chefe da NSA, almirante Mike Rogers, a mais poderosa das agências de espionagem eletrónica, repetiu o grito alarme feito em outubro pelo diretor do FBI, James Comey.


Dinheiro Digital / Lusa