photo
Ganhe até
$50000
por convidar amigos
para receber o Bônus StartUp
da InstaForex
Não é necessário investimento!
Comece a negociar sem
investimentos e riscos
COM O NOVO BÔNUS
STARTUP 1000$
Receba o bônus
55%
da InstaForex
em todos os depósitos

    If this is your first visit, be sure to check out the FAQ by clicking the link above. You may have to register before you can post: click the register link above to proceed. To start viewing messages, select the forum that you want to visit from the selection below.

    InstaForex affiliate program - the highest rewards on Forex! Earn by attracting clients! We pay up to 67% from company's profit!

    If this is your first visit, be sure to check out the FAQ by clicking the link above. You may have to register before you can post: click the register link above to proceed. To start viewing messages, select the forum that you want to visit from the selection below.

    InstaForex affiliate program - the highest rewards on Forex! Earn by attracting clients! We pay up to 67% from company's profit!

    If this is your first visit, be sure to check out the FAQ by clicking the link above. You may have to register before you can post: click the register link above to proceed. To start viewing messages, select the forum that you want to visit from the selection below.

    InstaForex affiliate program - the highest rewards on Forex! Earn by attracting clients! We pay up to 67% from company's profit!

    If this is your first visit, be sure to check out the FAQ by clicking the link above. You may have to register before you can post: click the register link above to proceed. To start viewing messages, select the forum that you want to visit from the selection below.

    InstaForex affiliate program - the highest rewards on Forex! Earn by attracting clients! We pay up to 67% from company's profit!

    If this is your first visit, be sure to check out the FAQ by clicking the link above. You may have to register before you can post: click the register link above to proceed. To start viewing messages, select the forum that you want to visit from the selection below.

    InstaForex affiliate program - the highest rewards on Forex! Earn by attracting clients! We pay up to 67% from company's profit!

    If this is your first visit, be sure to check out the FAQ by clicking the link above. You may have to register before you can post: click the register link above to proceed. To start viewing messages, select the forum that you want to visit from the selection below.

    InstaForex affiliate program - the highest rewards on Forex! Earn by attracting clients! We pay up to 67% from company's profit!

    If this is your first visit, be sure to check out the FAQ by clicking the link above. You may have to register before you can post: click the register link above to proceed. To start viewing messages, select the forum that you want to visit from the selection below.

    InstaForex affiliate program - the highest rewards on Forex! Earn by attracting clients! We pay up to 67% from company's profit!

+ Responder ao Tópico
Página 8 de 8 FirstFirst ... 678
Resultados de 71 a 75 de 75

Thread: Política

  1. #71
    Senior Member
    Data de afiliação
    Nov 2017
    Postagens
    355
    Accumulated bonus
    30.40 USD
    Obrigado
    22
    Agradeceu 187 vezes em 82 publicações

    Investidores deixaram explícito o posicionamento anti-PT, avalia H.Commcor

    O desempenho do mercado financeiro nesta segunda-feira (17) deixou “explícito o posicionamento anti-PT” dos investidores, avalia a corretora H.Commcor em um relatório enviado a clientes. O Ibovespa terminou o dia com alta de 1,8%, a 76.788 pontos, e o dólar iniciou a semana em baixa de 1%, cotado a R$ 4,1252 para venda. O Banco Central segue com a política tradicional de swaps cambiais, sem nenhuma oferta extraordinária prevista de venda futura do dólar.

    “Abrimos a semana com forte desempenho dos ativos nacionais, tendo como leitura majoritária relativo otimismo do mercado com as recentes pesquisas eleitorais indicando um Bolsonaro ainda avançando enquanto Fernando Haddad avança com a (esperada) migração de votos do ex-presidente Lula”, destacam Luiz Henrique, Cleber Alessie, Lúcio Bagio, Amós Sanches e Ari Santos, que assinam o documento.

    O candidato do PSL disparou para 28,2% nas intenções de votos estimuladas (quando o respondente recebe uma lista, mostra a nova pesquisa da CNT com a MDA Pesquisas divulgada hoje. Fernando Haddad (PT) avançou para 17,6% e deixou Ciro Gomes (PDT) para trás com 10,8%.

  2. The Following User Says Thank You to Marcus Moreira For This Useful Post:

    Unregistered (1 )

  3. <a href="">Форекс портал</a>
  4. #72
    Member
    Data de afiliação
    Aug 2018
    Postagens
    48
    Accumulated bonus
    0.00 USD
    Obrigado
    4
    Agradeceu 2 vezes em 1 publicaçaõ

    Ministério Público questiona 278 candidatos condenados por órgão colegiado

    O Ministério Público Eleitoral informou nesta terça-feira (18) que contestou 278 pedidos de registro de candidatos condenados por órgão colegiado da Justiça.

    Entre eles está o caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que teve a candidatura à Presidência negada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa.

    O órgão não tem dados de quantos candidatos tiveram o registro rejeitado e quantos ainda estão recorrendo.

    Conforme o balanço, ao todo, 2.636 candidatos tiveram o registro questionado, 9,1% do total de 28.949 candidaturas oficializadas na Justiça Eleitoral para todos os cargos nas eleições deste ano.

    Das 2,6 mil candidaturas contestadas, 749 (28,4%) foram com base na Lei da Ficha Limpa, que impede a candidatura por vários motivos.

    Além de condenações em segunda instância, também são barrados quem renunciou a mandato após abertura de processo ou teve contas rejeitadas pelos tribunais de contas.

  5. #73
    Senior Member
    Data de afiliação
    May 2018
    Postagens
    146
    Accumulated bonus
    159.43 USD
    Obrigado
    17
    Agradeceu 138 vezes em 53 publicações

    Paulo Guedes quer imposto nos moldes da CPMF e alíquota única de IR

    O economista Paulo Guedes, coordenador do programa econômico do candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL), quer recriar um imposto sobre movimentação financeira nos moldes da CPMF e pretende estabelecer uma alíquota única de Imposto de Renda de 20 por cento para pessoas físicas e jurídicas, que incidiria também sobre a distribuição de lucros e dividendos, de acordo com o jornal Folha de São Paulo desta quarta-feira.
    Guedes também pretende eliminar a contribuição patronal para a Previdência, que tem a mesma alíquota de 20 por cento e incide sobre a folha de pagamentos, acrescentou o jornal.
    De acordo com a colunista da Folha Mônica Bergamo, o pacote tributário que Guedes pretende implantar caso Bolsonaro seja eleito foi apresentado a uma plateia restrita reunida pela GPS Investimentos, gestora especialista em grandes fortunas, na terça-feira.
    O novo imposto sobre movimentações financeiras se chamaria Contribuição Previdenciária e seria destinado a financiar o INSS, segundo a Folha. A equipe econômica liderada por Guedes defende o modelo de capitalização para a Previdência, mas o atual sistema seguiria existindo paralelamente, e a contribuição seria criada para garantir sua solvência, acrescentou o jornal.
    Em mensagem publicada no Twitter (NYSE:TWTR) nesta manhã, Bolsonaro afirmou que sua equipe econômica trabalha para reduzir a carga tributária. O candidato não citou as declarações de Paulo Guedes.
    Ele afirma que sua equipe econômica trabalha para redução de carga tributária, desburocratização e desregulamentações. Chega de impostos é lema da equipe! Farão tudo diferente. Esse é o Brasil que queremos, segundo Bolsonaro na publicação.
    Bolsonaro, que está hospitalizado desde o dia 6 de setembro após levar uma facada durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG), lidera as pesquisas de intenção de voto para a eleição de outubro. O candidato tem utilizado as redes sociais para fazer campanha enquanto internado.

  6. #74
    Senior Member
    Data de afiliação
    May 2018
    Postagens
    146
    Accumulated bonus
    159.43 USD
    Obrigado
    17
    Agradeceu 138 vezes em 53 publicações

    Guardia reforça necessidade de reformas e defende abertura do mercado brasileiro

    O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, reforçou nesta quarta-feira a necessidade de o Brasil seguir no caminho das reformas fiscais, destacadamente a da Previdência devido ao aumento da despesas, além de defender uma maior abertura do mercado do país.
    Guardia afirma que, para o país continuar crescendo, é necessário enfrentar a questão do desequilíbrio fiscal. A despesa está em uma trajetória insustentável e vem acelerando desde 2010. Os causadores desse crescimento são benefícios previdenciários e despesas obrigatórias, por isso, a reforma da Previdência é urgente na discussão sobre ajuste desse déficit. Válido lembrar que as maiores despesas vem de funcionários públicos federais, por exemplo, que devido ao alto salário, bem maior quando comparado com países desenvolvidos, são responsáveis por grandes despesas previdenciárias.
    O ministro voltou a argumentar que a implementação de um sistema de capitalização não resolve o problema atual da Previdência, destacando que vê a oportunidade de colocar o tema em votação em novembro se o novo presidente eleito em outubro concordar.
    "Temos que falar de equidade de regras, idade mínima e uma regra de transição. O que me preocupa é quando desviamos deste tema e começamos a falar de sistema de capitalização, porque esse caminho tende a agravar a situação fiscal", completou Guardia.
    A manutenção do teto de gastos é outro ponto necessário para o país prosseguir no caminho do ajuste gradual e do equilíbrio fiscal, mas para tanto é preciso "encarar com seriedade essa questão", disse o ministro.
    As afirmações foram dadas no momento em que as principais candidaturas à Presidência são questionadas sobre como equilibrar o desajuste das contas públicas. À Reuters, a campanha de Ciro Gomes (PDT) disse ser a favor de controle dos gastos, mas sem incluir na regra do teto as despesas com investimentos. Também se posicionaram contra a atual regra do teto as campanhas de Marina Silva (Rede) e Fernando Haddad (PT).
    Já os assessores econômicos de Jair Bolsonaro (PSL) e Geraldo Alckmin (PSDB) indicaram ser favoráveis à manutenção do mecanismo que limita o crescimento dos gastos do governo à inflação do ano anterior.
    ABERTURA
    Guardia defendeu ainda uma maior abertura de mercado do Brasil, por meio de arranjos de acordos internacionais para reduzir os custos de fazer negócios no país.
    "Nós temos que sair do modelo de que todo o investimento em infraestrutura tem que vir de bancos públicos porque essa é uma situação insustentável. Alguns setores vão sofrer com esse processo, mas a abertura do mercado brasileiro é importante porque hoje o país ainda é muito fechado", disse.
    Válido lembrar que o Brasil cresceu muito pouco em relação a acordos comerciais nos últimos anos com a administração do Partido dos Trabalhadores. Alianças, e tributos mais acessíveis são necessários para que o país se torne mais competitivo mundialmente.
    Sobre a questão tributária, o ministro destacou que o Brasil não tem hoje como abrir mão da receita, e em meio a isso o governo está trabalhando na reforma do PIS/Cofins e do ICMS.
    "Estamos também trabalhando com a proposta de tributação a pessoa jurídica, e pretendemos apresentá-la até o final do ano como um contribuição para um movimento futuro", completou

  7. <a href="">Форекс портал</a>
  8. #75
    Senior Member
    Data de afiliação
    May 2018
    Postagens
    146
    Accumulated bonus
    159.43 USD
    Obrigado
    17
    Agradeceu 138 vezes em 53 publicações

    Queda de Ciro pode continuar; Bolsa Família, evangélicos e escolaridade definem

    As últimas pesquisas mostram uma queda na preferência dos eleitores pelo candidato Ciro Gomes, do PDT, e um aumento nos de Fernando Haddad, do PT, que pode se intensificar nas próximas semanas, consolidando a polarização entre o candidato petista e Jair Bolsonaro, do PSL, no segundo turno. A tendência precisa, porém, ser confirmada nos próximos levantamentos de campo, afirma Ribamar Rambourg, coordenador de Análise Política da Genial Investimentos. A corretora divulgou hoje pesquisa feita pelo instituto Brasilis na quarta e na quinta-feira desta semana, que mostra Bolsonaro com 30%, Haddad com 17% e Ciro com 7%, empatado com Geraldo Alckmin, do PSDB. Marina Silva, da Rede, tem 6% , João Amoêdo, do Novo, 5% e Álvaro Dias, do Podemos, 4%. Henrique Meirelles, do MDB, aparece com 3%.

    Fatores sócio-econômicos explicam favoritismo

    A pesquisa da Genial mostrou também maior impacto de fatores sociais na preferência pelos candidatos do que fatores regionais, afirma Rambourg. Fatores como renda e escolaridade explicam o crescimento de Haddad e Bolsonaro. “E na pesquisa por telefone, é mais fácil a pessoa falar de maneira mais verdadeira sobre sua renda”, explica. O levantamento mostrou que Haddad tem maior presença entre os eleitores que estudaram até o fundamental apenas, com 22% do total, enquanto Bolsonaro tem 15% nessa faixa. Já o candidato do PLS tem a maioria dos eleitores entre os com mais escolaridade, até o ensino médio completo (43%) ou até o superior completo ou mais (42%). Haddad tem 16% dos eleitores com ensino médio e 10% com ensino superior.
    Já com relação à renda, Haddad tem maior presença entre os que recebem Bolsa Família (27%) do que Bolsonaro (16%). O candidato do PSL cresce entre os com renda mais alta (33% dos que não recebem Bolsa Família, para 15% de Haddad). “Haddad vai bem entre os beneficiários do Bolsa Família, que são 25% da população”, observa Rambourg.

    Evangélicos dão força a Bolsonaro

    Religião também favorece Bolsonaro, com 39% dos eleitores evangélicos e 38% dos católicos e 32% dos de outras religiões. Haddad tem maior presença entre os católicos, com 18%, e de outras religiões, com 17%, ficando com 11% dos evangélicos no primeiro turno.
    Com relação ao sexo, há uma predominância do voto masculino em Bolsonaro, 40%, contra 21 do feminino, enquanto Haddad tem maior equilíbrio, 18% mulheres e 17% homens. A diferença de gênero fica mais claro no segundo turno, diz Rambourg, especialmente com Bolsonaro, que tem 53% dos votos masculinos e 32% dos femininos. Haddad tem mais votos das mulheres, 47%, do que dos homens, 32%.
    No segundo turno, grupos podem definir a eleição.

    Mas se Bolsonaro não faz tanto sucesso entre as mulheres, o eleitorado evangélico pode ajudar bastante o candidato do PSL no segundo turno, com a preferência de 52% dos fiéis. Dos católicos, 40% preferem Bolsonaro, assim como 41% de outras religiões. Já Haddad tem mais votos entre os católicos (42%) que entre os evangélicos (32%) e de outras religiões (32%).

    Já entre os que recebem Bolsa Família, Haddad tem ampla vantagem, com 58% dos que têm o benefício e 35% entre os que não recebem. Bolsonaro tem 28% de eleitores com Bolsa Família e 45% com renda mais alta, que não recebem.

    Sobre a escolaridade, no segundo turno, Haddad aparece com 54% dos votos entre os que completaram apenas o ensino fundamental, 30% o ensino médio e 25% o superior. Já Bolsonaro é o inverso, 25% ensino fundamental, 57% médio e 53% superior completo. “Nos dados finais, vemos que religião, bolsa família, escolaridade e renda, são mais relevantes”, diz.

    Queda de Ciro e crescimento de Haddad

    Rambourg diz que é preciso confirmar se a queda de Ciro detectada na pesquisa da Genial se confirmará nas próximas. Mas o que se vê é um segundo turno bastante acirrado entre Bolsonaro e Haddad, com vantagem pequena para o candidato do PSL. “Fatores externos podem acontecer, mas teria de ser algo com um impacto muito grande para mudar esse cenário”, diz.

    Sem muita chance de um candidato de centro.

    Mantidas as atuais tendências, Haddad deve crescer e ele e Bolsonaro parecem ter se consolidado na liderança. “As pesquisas não mostram espaço para outra candidatura aparecer nessa altura da campanha”, diz, numa referência às tentativas do PSDB de tentar atrair votos de outras candidaturas de centro para Geraldo Alckmin. Em carta, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso fez um apelo para a união do centro no primeiro turno para evitar a polarização entre esquerda e direita.

    Para Rambourg, porém, a tendência é de Haddad crescer ainda mais. “A pesquisa mostra que 25% não conheciam Haddad, então ele ainda tem espaço para conquistar mais eleitores”, diz. Mas ele alerta que é preciso cuidado com as projeções para o segundo turno. “Tanto Haddad quanto Bolsonaro são candidatos com taxas de rejeição muito alta, não Haddad diretamente, mas o PT, que tem mais de 50% de eleitores que dizem que não votariam no partido de jeito nenhum”, lembra.

    Disputa vai durar mais um mês

    O analista observa que faltam ainda mais duas semanas para o primeiro turno e outras três para o segundo, ou seja, um mês de campanha. “E em um mês a situação pode mudar muito”, lembra. Ele acredita que a forma como terminar o primeiro turno terá influência grande na decisão dos eleitores no segundo. “Precisamos ver como o PT vai usar a propaganda eleitoral, pois o partido é muito bom nisso, e como vão reagir os outros candidatos na reta final do primeiro turno”, diz.

    Haddad aparece como favorito

    Aparentemente, Haddad seria o favorito, por se opor ao presidente Michel Temer, que tem altíssima rejeição junto à população, e por vender a volta aos bons tempos do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “E a máquina do partido, o PT, também é muito importante, é uma estrutura fundamental para ganhar votos”, lembra Rambourg. Mas Bolsonaro também tem apelo entre os que são contrários ao PT e entre os mais conservadores.
    Voto envergonhado, tanto em Bolsonaro como no PT.

    Sobre o voto envergonhado, Rambourg acha que ele existe tanto entre os que votam em Bolsonaro, mas não admitem, como entre os que podem votar no PT. “Mas a pesquisa telefônica tenderia a reduzir esse efeito, por constranger menos o eleitor”, acredita. “Não deve ser uma coisa tão importante”.

    Fim do primeiro turno pode influenciar o segundo

    O analista político acredita que o mais importante agora é ver como vai terminar o primeiro turno. “As coisas podem mudar, na eleição passada Marina Silva estava em segundo e Aécio Neves acabou passando para o segundo turno”, diz. Ele lembra, porém, que Aécio começou a crescer antes, e um possível nome alternativo já deveria estar ganhando espaço nas pesquisas. “Por isso não acredito em um terceiro candidato ainda neste primeiro turno”, diz.
    Além disso, há a questão da saúde de Bolsonaro, que pode afetar a campanha do candidato e os debates no segundo turno.

    A Genial deve fazer mais uma pesquisa semanal, que será divulgada na próxima quinta-feira. Na última semana antes da eleição, a previsão é que sejam feitos levantamentos diários para acompanhar a reta final do primeiro turno.

+ Responder ao Tópico

Permissões de postagens

  • You may not post new threads
  • You may not post replies
  • You may not post attachments
  • You may not edit your posts

Select Language