Hoje,13 de julho celebramos o Dia do Rock. Mas você sabe o porquê dessa data ter sido a escolhida? O Vagalume conta para você.

Tudo começou em 1984 quando o músico irlandês Bob Geldof (que cantava no Boomtown Rats) ficou chocado ao ver uma matéria na BBC sobre a crise humanitária pela qual passava a Etiópia. As imagens ainda chocam. Eram milhares de homens, mulheres e crianças, literalmente, morrendo de fome vivendo em enormes campos. O tipo de cena que achávamos que jamais teríamos de ver em pleno século 20.

Geldof sentiu que alguma coisa precisava ser feita. O problema é que ele não era exatamente uma superestrela. Sendo assim, de nada adiantaria ele lançar uma música ou sair fazendo campanha. Sua primeira atitude foi chamar Midge Ure, o vocalista do Ultravox, para ajudá-lo.

O resultado desse encontro foi a canção "Do They Know It's Christmas?". A segunda foi usar uma entrevista na BBC para recrutar o maior número possível de estrelas para a causa.

Uma simples ideia chamou a atenção do público,e rendeu muito dinheiro para a caridade. Três dias depois, o single do Band Aid (o nome da "banda") com a paerticipação de Sting, George Michael entre outros estava nas lojas. O resultado foi o single mais vendido na história daquele país até então.

Mais tarde nos Estados Unidos Geldof se reunião com vários músicos estadunidenses, todos resolveram dar a sua contribuição na forma de outra cançã "We Are The World lançada pelo USA For Africa.

Seguindo o exemplo, artistas de vários países fizeram canções com o mesmo objetivo. Mas era preciso coroar todo esse esforço. Foi quando Bob Geldof teve a ideia da "jukebox interplanetária". Dois megaconcertos ocorrendo no mesmo dia nos Estados Unidos e na Inglaterra com as maiores estrelas do mundo da música. Tudo transmitido ao vivo e para todo o planeta, surgiu então o Live Aid.

E assim em 13 de julho de 1985, David Bowie, Elton John, The Who, Style Council, Sade, Bryan Ferry, Dire Straits, Sting e vários outros estavam no estádio de Wembley para um dia memorável.

O evento se mostrou importante também do ponto de vista musical. Primeiro por novamente unir várias gerações de músicos que desde o punk estavam separadas e por alguns grandes marcos.

Nos EUA, o show aconteceu na Filadelfia e teve The Cars, Tom Petty, uma ainda novata Madonna (ao lado), Duran Duran, Beach Boys, Neil Young, uma volta de improviso do Led Zepellin e outra da formação original do Black Sabbath, o encontro de Mick Jagger e Tina Turner e alguns momentos de humor involuntário protagonizados por Bob Dylan se vendo obrigado a cantar sem conseguir se ouvir e ainda acompanhado pelos igualmente perdidos Keith Richards e Ron Wood dos Rolling Stones.

E, assim, comemoramos até hoje o dia do Rock, que em todas as usas transformações que vem passando ao longo dos anos, continua vivo.