photo
+ Responder ao Tópico
Resultados de 1 a 1 de 1

Thread: O que é tecnologia blockchain?

  1. #1 Fechar a publicação
    Senior Member
    Data de afiliação
    Aug 2020
    Postagens
    351
    Obrigado
    6
    Agradecimentos 91 Tempos em 90 Postagens
    AssinarAssinar
    subscritar: 1

    O que é tecnologia blockchain?

    Um blockchain é uma rede ponto a ponto de computadores ou servidores conhecidos como “nós” que participam e monitoram a transferência de informações e ativos. Cada transferência é registrada no computador de cada usuário (nó), gerando uma plataforma de confiança baseada em várias cópias idênticas do livro-razão.
    Blockchain é a tecnologia por meio da qual criptomoedas e informações podem ser compartilhadas.
    O que torna a tecnologia blockchain tão valiosa é que ela elimina a necessidade de um terceiro centralizado, melhorando a eficiência, segurança e confiabilidade para inúmeros setores.
    A tecnologia Blockchain está revolucionando os setores de finanças à agricultura. Grandes e pequenas empresas estão enfrentando o desafio de integrar essa tecnologia em suas operações.
    O Blockchain impactou especialmente o marketing, o jurídico e os pagamentos para inúmeras empresas.
    Resumindo, um blockchain usa um livro-razão público que pode ser rastreado e registrado por todos os participantes.
    Semelhante à maneira como o Google Docs permite que os usuários trabalhem no mesmo projeto simultaneamente, o Blockchain oferece aos usuários acesso público a transferências de dinheiro que, de outra forma, seriam privadas. Como resultado, todas as modificações são monitoradas por todos os usuários, adicionando novas medidas de segurança.
    Tecnologia de razão distribuída vs. tecnologia de blockchain
    Esses termos costumam ser usados alternadamente, o que pode causar muita confusão em torno de um tópico já complexo. Para os não iniciados, aqui estão um pouco mais de informações sobre a diferença entre a tecnologia blockchain e distribuída
    tecnologia de razão.

    Tecnologia de razão distribuída

    Name:  Capturar 1.PNG
Views: 40
Size:  310.3 KB

    Um livro razão distribuído é um diretório ou banco de dados armazenado em vários computadores (também conhecidos como nós). Todos os nós possuem uma cópia exata do razão. Quando novas informações são adicionadas, os nós conduzem uma votação automática para verificar a autenticidade da atualização.
    Quando a maioria dos nós concorda (ou seja, obtém consenso), o sistema se atualiza de acordo (ou seja, adotando as novas informações em todas as cópias do razão ou rejeitando-as). Os livros-razão distribuídos são executados sem uma autoridade central, revolucionando a maneira como pensamos a democracia.
    A tecnologia é capaz de reduzir o “custo da confiança” (também conhecido como a quantidade de dinheiro que você precisa para pagar por vários serviços que autenticam transações). Como as transações são transparentes, os livros-razão são distribuídos em vários computadores e criptografados para garantir a proteção, adulterando os dados é quase impossível sem detecção.
    Isso significa que livros-razão distribuídos podem otimizar várias tarefas de negócios enquanto economizam dinheiro que você gastaria em honorários de seus advogados.
    Você provavelmente está pensando que isso soa exatamente igual à tecnologia blockchain. Não tão. Lembra da aula de biologia? É aí que você provavelmente já ouviu a frase "Todos os insetos são insetos, mas nem todos os insetos são insetos." O mesmo acontece aqui.
    Tecnologia Blockchain

    Name:  Capturar 2.PNG
Views: 34
Size:  324.0 KB


    Blockchains e livros-razão distribuídos têm uma relação muito semelhante entre si. Blockchains são um tipo de tecnologia de razão distribuída em que os dados são estruturados em blocos. Quando novos dados são adicionados, novos blocos são criados, formando uma cadeia de blocos (daí o nome). Como ocorre com os livros-razão distribuídos em geral, a criptografia fornece segurança para o sistema.
    Esta é a única diferença significativa entre os dois fenômenos. Devido à estruturação específica dos dados, as cadeias de blocos às vezes são consideradas mais avançadas e mais caras, daí seu uso em transações financeiras.
    O motivo pelo qual esses termos são usados como sinônimos é que os blockchains são a iteração mais amplamente usada da tecnologia abrangente conhecida como razão distribuída. Para nossos objetivos, usaremos o termo mais amplamente conhecido para evitar confusão e porque nos referiremos principalmente aos casos de uso financeiros dessas tecnologias. Neste espaço, reina o blockchain.

    Name:  Capturar 3.PNG
Views: 34
Size:  306.2 KB

    Como o blockchain foi criado?

    Name:  Capturar 4.PNG
Views: 19
Size:  186.0 KB

    A tecnologia Blockchain encontrou sua origem em criptomoedas como Bitcoin. Ele permitiu a troca de moeda, registrando cada transferência de dinheiro em blockchain em um livro razão digital acessível ao público.
    Blockchain foi inicialmente lançado em 2008 como um veículo para transferir Bitcoin. Mas, desde então, tem sido reconhecido como uma forma de compartilhar mais do que apenas moeda, incluindo registros, eletricidade, contratos, etc.
    Usuários notáveis de blockchains públicos são Ethereum, Ripple e, claro, Bitcoin.
    Criptomoeda
    Blockchain originou-se de criptomoedas como um veículo para transferir ativos digitais. Embora uma criptomoeda seja descentralizada e, portanto, uma moeda digital global, as moedas fiduciárias têm curso legal apoiado pelo governo. Aqui estão três criptomoedas que o blockchain ajuda a facilitar:
    Bitcoin
    A primeira grande criptomoeda, Bitcoin, explodiu nos cinejornais no final de 2017, quando seu valor saltou para quase 20.000 dólares americanos. Foi criado pelo não identificado Satoshi Nakamoto em 2009. O livro razão de blockchain do Bitcoin é o blockchain público mais popular e amplamente utilizado. Apesar de seu potencial como moeda digital global, atraiu estigma e crítica devido ao aumento da atividade criminosa e da volatilidade do valor.
    Éter
    Ether é uma criptomoeda criada pela Ethereum, uma plataforma de computação com foco em contratos inteligentes de blockchain. Ether é indiscutivelmente a segunda criptomoeda mais popular do mundo, atrás apenas do Bitcoin. Como o Bitcoin, seu valor disparou, embora, felizmente, não tenha a reputação na atividade criminosa de seu antecessor.
    Ondulação
    Ripple trabalhou com pagamentos B2B como uma troca de moeda e rede de remessas antes de lançar sua criptomoeda, XRP. Indiscutivelmente a terceira criptomoeda mais popular, o XRP não requer um sistema de prova de trabalho como o Bitcoin. Em vez disso, as transferências de dinheiro em blockchain com XRP seguem um protocolo de consenso para proteger os saldos das contas dentro de seu sistema.
    Desde seu pico em 2018, o Bitcoin continua sendo a criptomoeda mais popular, mantendo um preço de pelo menos $ 3.500 acima do ano anterior. 2019 comprovou que reforça o interesse e a confiança nas criptomoedas.
    Blockchain está abrindo seu caminho para o mainstream. Mas o que isso significa para o futuro dos pagamentos? Enquanto os governos lutam para regular as criptomoedas e temem a desvalorização de suas moedas nacionais, alguns estão tomando medidas para chegar a um acordo. O futuro das moedas digitais e fiduciárias pode estar interligado.
    Usando blockchain para enviar dinheiro

    Name:  Capturar 5.PNG
Views: 32
Size:  174.5 KB


    Blockchain é uma tecnologia inovadora que otimiza a maneira como o dinheiro é transferido e as transações são processadas. Embora tenha sido usada em muitos campos desde seu lançamento em 2009, a tecnologia blockchain ainda é mais amplamente usada em transferências de dinheiro e reconciliação de transações.
    Mas, as criptomoedas não são os únicos fundos que podem ser transferidos em um livro razão distribuído.
    O Blockchain foi criado com o objetivo de facilitar transferências de dinheiro rápidas, seguras e protegidas.
    Como funciona o blockchain?
    Para enviar dados, o blockchain usa um razão distribuído e uma função hash. O que isto significa? Uma transação é convertida em um código, que é adicionado a um livro-razão e compartilhado com vários computadores de verificação de fatos. Vamos decompô-lo.
    Uma função hash é um código composto de números e letras que é usado para identificar blocos de informação. Não há como determinar o algoritmo que cria o hash. E embora um hash seja completamente aleatório, ele inclui certos recursos que o tornam muito difícil de falsificar.
    Os códigos (hash) são inseridos em um razão distribuído (o blockchain). Eles são copiados com cada novo bloco e cada nova entrada deve corresponder à última entrada, evitando, portanto, qualquer violação. Se alguém tentar alterar um hash, terá que alterar tudo na cadeia. Embora pareça simples, existem algumas restrições que o tornam quase impossível.
    Por um lado, esses hashes são compilados e depois compartilhados com computadores em todo o mundo, conhecidos como nós, que rastreiam e aprovam cada transação. Assim que a maioria dos nós concordar que a transação é válida e os novos dados correspondem às entradas anteriores, eles são inseridos em um bloco. O processo de rastreamento de hash é conhecido como prova de trabalho.
    Um bloco é uma coleção de hashes que são compilados e compartilhados com cada nó, formando um blockchain.
    Para dois, o blockchain é atualizado automaticamente a cada dez minutos. E uma vez atualizado, ninguém pode alterá-lo. Humanos e computadores não são capazes de manipular um bloco nesse período de tempo, tornando o processo virtualmente impossível de hackear.
    O que você precisa para enviar dinheiro usando o blockchain?
    Para iniciar uma transação, os usuários do blockchain devem criar uma carteira, que funciona como um endereço, e uma chave privada. Essas duas coisas representam a identidade de um usuário dentro do blockchain. Ao contrário da chave privada, a carteira é pública. Eles trabalham juntos para manter a segurança e a responsabilidade.

    O blockchain é seguro?
    Um livro-razão acessível ao público pode parecer uma violação de privacidade. No entanto, sua natureza pública permite que uma transferência de dinheiro em blockchain seja monitorada por todas as partes participantes (nós), fornecendo uma plataforma de confiança à prova de adulteração e imutável.
    Na verdade, um dos principais recursos do blockchain é a segurança. Blockchains são criptografados e virtualmente à prova de hackers. Isso traz benefícios para os usuários e preocupações para os reguladores.
    A estrutura de dados do Blockchain não pode ser alterada ou excluída. Para adulterar as informações em um blockchain, cada cópia do razão na maioria dos nós de computador participantes precisaria alterar a mesma informação. Como resultado, um ataque de 51% é a única maneira de alterar efetivamente as informações contidas em um blockchain. Mas com o mecanismo de consenso de prova de trabalho usado por blockchains públicos, isso torna esse tipo de ataque impraticável.
    Ou em outras palavras, quase impossível.

    Com escândalos bancários e crises financeiras recentes em mente, a tecnologia blockchain oferece um nível extra de segurança para pagamentos de pequenas empresas. Pode ser do interesse das pequenas empresas proteger seus fundos com a tecnologia blockchain.
    A confiança muitas vezes custa dinheiro às empresas, e os bancos e instituições governamentais tiram proveito desse fato. O Blockchain elimina a necessidade disso. A confiança é cara e as empresas precisam trabalhar anos para construí-la. Mas com o blockchain, os usuários têm o benefício de abandonar a confiança, tanto para governos quanto para parceiros de transações.
    A ironia do blockchain é que os incentivos para usá-lo também são pontos de crítica. Os reguladores em muitos países estão preocupados com uma moeda descentralizada. E os governos reconhecem o potencial da tecnologia blockchain para atividades criminosas, devido ao seu anonimato. O Blockchain usa um livro-razão público, mas as informações pessoais são limitadas à assinatura digital e ao nome de usuário do usuário.
    Para onde você pode enviar dinheiro?
    As transferências de dinheiro em blockchain podem ser enviadas e recebidas em qualquer país que permita a existência da tecnologia. No entanto, com o Veem, as transferências de dinheiro em blockchain podem ser enviadas para o México, Brasil e Filipinas.
    A legalidade das criptomoedas varia de acordo com o país. Onde alguns países identificam a tecnologia blockchain como uma ameaça, conectada a atividades ilegais, outros aceitam criptomoedas junto com sua moeda nacional e outros ainda desenvolveram, ou planejam, suas próprias moedas eletrônicas.
    Muitos governos alertam sobre a volatilidade das criptomoedas e a falta de regulamentações, o que significa que não há recursos legais para proteger os usuários contra perdas. Por exemplo, o governo de Taiwan declarou que uma criptomoeda "não é emitida por nenhuma autoridade monetária e, portanto, não tem direito a ações judiciais ou garantia de conversão". A maioria dos países divulgou declarações semelhantes, mas não desenvolveu regulamentações sobre o uso geral fora dos bancos.
    Onde as criptomoedas são ilegais?
    Bitcoin e outras formas de criptomoedas são proibidas na Argélia, Egito, Marrocos, Bolívia, Equador, Nepal, Paquistão, Indonésia e Vietnã.
    Esses países têm diferentes motivos para banir as criptomoedas. O Equador, por exemplo, estabeleceu um sistema de dinheiro eletrônico estatal falido. Marrocos afirma que as criptomoedas infringem os regulamentos de câmbio. Outros têm ideias conflitantes sobre tributação, uma vez que organizações não regulamentadas abrem portas para a mineração de dados, o que apresenta complicações fiscais.
    Onde as criptomoedas são legais?
    Em outros países, bitcoin e outras moedas digitais podem ser legais, mas são restritas aos bancos. Os países nesta categoria incluem Canadá, China, Colômbia, Arábia Saudita, Jordânia, Irã, Bangladesh, Índia, Taiwan e Camboja.
    Por exemplo, no Canadá, “os negociantes de moeda digital são regulamentados como empresas de serviços financeiros”. Somente empresas que lidam com moedas digitais registradas no Centro de Análise de Transações Financeiras e Relatórios do Canadá (Fintrac) podem abrir e manter contas bancárias. Alguns grandes bancos canadenses proibiram os usuários de cartões de crédito e débito de comprar criptomoedas.
    Da mesma forma, a China proibiu as instituições financeiras de facilitar as transações de bitcoin. A recente legislação de criptografia da China, em vigor em janeiro de 2020, é parte da iniciativa do presidente chinês Xi Jinping de "aproveitar as oportunidades na tecnologia de blockchain."

    Though trading on financial markets involves high risk, it can still generate extra income in case you apply the right approach. By choosing a reliable broker such as InstaForex you get access to the international financial markets and open your way towards financial independence. You can sign up here.


  2. The Following User Says Thank You to socrates980 For This Useful Post:

    Não registrado (1 )

+ Responder ao Tópico

Permissões de postagens

  • You may not post new threads
  • You may not post replies
  • You may not post attachments
  • You may not edit your posts