Name:  Capturar 1.PNG
Views: 23
Size:  944.7 KB

Introdução
Em abril de 2018, as ofertas iniciais de moedas (“ICOs”) - um setor que os analistas acreditam que pode eventualmente se tornar um espaço de vários trilhões de dólares - arrecadou o impressionante valor de US $ 5.014.952.132. Com uma capitalização de mercado total de mais de US $ 100 bilhões, o mercado de criptomoedas atraiu a atenção de muitos, incluindo comerciantes em busca de dinheiro rápido com poucos regulamentos.
O que são ofertas iniciais de moedas?
ICOs são outra forma de criptomoeda que as empresas usam para levantar capital. Por meio das plataformas de negociação da ICO, os investidores recebem “tokens” de criptomoeda exclusivos em troca de seu investimento monetário no negócio. É um meio de crowdfunding por meio da criação e venda de um token digital para financiar o desenvolvimento do projeto.
Esse token exclusivo funciona como uma unidade monetária que dá aos investidores acesso a determinados recursos de um projeto executado pela empresa emissora. Esses tokens são únicos porque ajudam a financiar projetos de software de código aberto que, de outra forma, seriam difíceis de financiar com estruturas tradicionais.
O que são livros brancos? E a que finalidade eles servem?
Quando uma empresa iniciante de criptomoeda deseja levantar dinheiro por meio de um ICO, geralmente coloca seus planos em um “papel branco” para fornecer aos investidores informações importantes. Essas informações incluirão, mas não se limitarão a: do que se trata o projeto; quais objetivos o projeto terá como objetivo cumprir após a conclusão; quanto dinheiro é necessário para empreender o empreendimento; quantos tokens virtuais os emissores manterão para si próprios; que tipo de moeda é aceita; por quanto tempo a campanha da OIC durará; e quem é a equipe por trás do white paper. A empresa emissora do ICO prepara o livro branco antes de lançar a moeda. É um componente essencial das ICOs, já que muitos investidores solicitam uma minuta do white paper antes de decidirem se investem.
Criptomoeda ICO vs. IPO de ações
A maior diferença entre uma criptomoeda ICO e uma oferta pública inicial de ações (“IPO”) é a supervisão regulatória. Em primeiro lugar, como parte do requisito obrigatório de registro junto à autoridade reguladora, qualquer empresa que pretenda emitir um IPO deve criar um documento legal denominado “prospecto”. O prospecto representa uma declaração legal de sua intenção de emitir suas ações ao público e deve atender a determinados padrões de transparência. Entre outras coisas, deve incluir informações importantes sobre a empresa e seu próximo IPO para ajudar os investidores em potencial a tomar uma decisão informada.
Ao contrário, conforme declarado em recente ação regulatória dos Estados Unidos, as ICOs só têm requisitos regulatórios se forem emitidos como tokens de segurança em vez de tokens de utilidade, que são descritos em mais detalhes abaixo. No entanto, como essa atividade regulatória foi desenvolvida apenas recentemente, as avaliações dos investidores e due diligence são mais difíceis de realizar, especialmente em comparação com a avaliação de IPOs de ações, que são regulamentados por meio de processos rígidos e supervisionados por firmas de contabilidade e bancos de investimento, proporcionando assim aos investidores mais informação e segurança.
Como funciona o ICO?

Por meio do modelo de arrecadação de fundos da ICO, as startups podem levantar capital emitindo tokens em um blockchain (uma lista de registros protegidos por criptografia) e, em seguida, distribuindo tokens em troca de uma contribuição financeira. Esses tokens, que podem ser transferidos pela rede e negociados em bolsas de criptomoedas, podem servir a uma série de funções diferentes, desde conceder ao detentor acesso a um serviço específico até o direito a dividendos da empresa. Dependendo de sua função, os tokens podem ser classificados como tokens de utilitário ou tokens de segurança.
Tokens utilitários
Tokens de utilidade, chamados de "tokens de usuário" ou "moedas de aplicativo", representam o acesso futuro ao produto ou serviço da empresa. Por meio de tokens de utilidade, as startups da ICO podem levantar capital para financiar o desenvolvimento de seus projetos de blockchain em troca do acesso futuro dos usuários ao serviço. Os tokens de utilidade não foram projetados para ser um investimento padrão para uma ação da empresa e, se estruturado de maneira adequada, esse recurso isenta os tokens de utilidade das leis federais que regem os títulos.
Ao criar tokens de utilidade, uma startup pode vender “cupons digitais” para o serviço em desenvolvimento, semelhante à forma como os varejistas eletrônicos aceitam encomendas de videogames que podem não ser lançados por vários meses. Um exemplo de token de utilitário é o “Filecoin”, que arrecadou US $ 257 milhões com a venda de tokens que fornecem aos usuários acesso a seu programa de armazenamento em nuvem descentralizado. As empresas que oferecem esses tokens de utilidade tendem a evitar o uso do termo “ICO” e preferem termos como “eventos de geração de tokens” e “eventos de distribuição de tokens”, para garantir que não pareçam se envolver em uma oferta de valores mobiliários.
Tokens de segurança
Ao contrário dos tokens de utilidade, se um token deriva seu valor de um ativo externo negociável ou pode aumentar de valor com base nos esforços de outros, pode ser classificado como um token de segurança e tornar-se sujeito aos regulamentos de títulos federais. O não cumprimento dessas regulamentações pode resultar em penalidades caras e pode ameaçar o descarrilamento de um projeto. Portanto, uma empresa deve cumprir todas as suas obrigações regulamentares. Depois que o token é classificado corretamente, uma ampla variedade de aplicativos é permitida, sendo o mais promissor a capacidade de emitir tokens que representam ações da empresa. O varejista online Overstock.com (“Overstock”) está atualmente envolvido nesta prática. Overstock anunciou que tZERO, uma de suas empresas de portfólio, manteria um ICO para financiar o desenvolvimento de uma plataforma de negociação de tokens de segurança licenciada. Os tokens tZERO são emitidos de acordo com os regulamentos da SEC, e o CEO da Overstock, Patrick Byrne, afirmou que os detentores de tokens teriam direito a dividendos trimestrais derivados dos lucros da plataforma tZERO.
Muitos observadores da indústria, incluindo o Sr. Byrne, acreditam que um dia as principais empresas emitirão ações por meio de ICOs, no lugar ou em adição às ofertas públicas tradicionais.
Preocupações
Joichi Ito, diretor do MIT Media Lab e professor da prática de artes e ciências da mídia, levantou algumas preocupações com a mentalidade de “corrida do ouro” que está alimentando o sucesso dos ICOs. Ele acredita que as criptomoedas estão sendo implantadas de forma irresponsável, causando danos aos indivíduos e ao ecossistema de desenvolvedores e organizações.
Ito está preocupado com o fato de os reguladores de IPOs ainda não terem alcançado as ICOs, permitindo assim que os emissores enriqueçam tirando proveito de investidores involuntários que estão comprando tokens de valor questionável. Em última análise, o Sr. Ito acredita que a intervenção regulatória precisará ser muito mais sofisticada e tecnicamente informada. Nesse ínterim, uma longa lista de pessoas lerá sobre a disparada dos preços do Bitcoin e decidirá comprar um dos inúmeros ICOs que estão sendo apresentados ao público, talvez sem compreender totalmente os riscos associados a tal investimento.
Conclusão
Um ICO é semelhante a uma combinação entre um IPO e crowdfunding online, mas para criptomoeda. Pode-se contribuir com o valor “X” de um token existente e receber em troca o valor “Y” de um novo token (a uma taxa de conversão definida) em uma data definida pelo emissor do token.
Esse token pode ser usado de duas maneiras, com uma função de utilidade ou uma função de segurança. Um token de utilidade geralmente não é regulamentado e é usado por startups para obter capital para financiar seus projetos em troca de acesso futuro ao serviço em desenvolvimento. Por outro lado, um token de segurança é geralmente tratado como uma ação, um ativo negociável com qualidades de propriedade e é regulamentado pela SEC. ICOs são um conceito novo e alguns levantam preocupações com o valor real dos tokens e como é fácil para o emissor ficar rico. Em última análise, o tempo dirá se isso se tornará o futuro das empresas de financiamento ou apenas um esquema de “enriquecimento” dos emissores.